Turismo

A cidade de Coimbra foi capital de Portugal de 1139 a 1385 tendo nela nascido seis monarcas da 1ª Dinastia. Reconhecida pelas suas tradições culturais e artísticas, Coimbra foi durante muito tempo a capital intelectual de Portugal e ainda hoje é uma das mais pitorescas cidades do país.

Deixamos aqui algumas sugestões de visitas pela cidade de Coimbra.

Largo da Portagem

O nome deste largo (Portagem) deve-se ao facto de, em tempos idos, aí se cobrarem os impostos sobre as mercadorias que chegavam à cidade, vindas do sul.
Na Portagem ficava o Pelourinho, símbolo do poder municipal, hoje na chamada Praça Velha e a cadeia da cidade que, mais tarde, foi mudada para os antigos celeiros do Mosteiro de Santa Cruz (actual esquadra da PSP).

 

Colégio e Igreja do Carmo

A Igreja de 1597, foi mandada contruir por D. Frei Amador Arrais, Bispo de Portalegre. Na sacristia pode ver-se uma Deposição de Cristo no Túmulo, de João de Ruão. O Claustro de 1600 segue o modelo quinhentista conimbricense da Renascença.

 

 Universidade de Coimbra

Localizada na mais alta colina da cidade. É uma das universidades mais antigas ainda em operação na Europa e no mundo, a mais antiga de Portugal e uma de suas maiores instituições de ensino superior e de pesquisa

 

 Quinta das Lágrimas

A Quinta das Lágrimas é, hoje em dia, um hotel, situada na margem direita do rio Mondego. No entanto, se a visitarmos, podemos ainda encontrar a Fonte das Lágrimas, onde outrora morreu Inês de Castro assassinada, enquanto passeava pelos belos jardins, que ainda lá se encontram, do antigo pavilhão de caça, onde D. Pedro e Inês viveram juntos e criaram os seus filhos.

 

Parque Verde do Mondego

Situado na margem direita do Mondego, com uma área com cerca de 400.000 m2, o parque reúne uma ampla zona de esplanadas assentes numa plataforma de madeira sobre o rio. A zona verde oferece quatro quilómetros de corredores para peões e ciclovias, entre bares, restaurantes, um parque infantil, pavilhões de exposições temporárias e o Pavilhão Centro de Portugal, projectado por Souto Moura e Álvaro Siza Vieira.

Penedo da Saudade

O Penedo da Saudade é um parque e miradouro da cidade de Coimbra, construído em 1849, de onde se avista a parte oriental da cidade até ao rio Mondego, a serra do Roxo e a serra da Lousã. Ligado à cultura coimbrã e à sua academia, neste espaço pode encontrar entre uma vegetação diversificada, inúmeras placas comemorativas de eventos ligados à vida académica, além de poesias de alunos. A mais antiga data de 1855. A “Sala dos Cursos” e a “Sala dos Poetas” são dois espaços de visita obrigatória.

Museu Académico

O Museu Académico tem como missão reunir, preservar e difundir os valores sociais, artísticos e culturais da comunidade académica.

 

 

Museu Militar

Inaugurado em 1985, este museu é constituído por salas de exposição no rés-do-chão e 1º andar, parque de armas pesadas, oficina de restauro e arrecadação de material.

 

 Museu da Física

O Museu de Física encontra-se instalado no largo Marquês de Pombal, num edifício pombalino, conhecido como Colégio de Jesus. Este Museu possui uma colecção valiosa de instrumentos científicos e didácticos de Física dos séculos XVIII e XIX. O espólio do Museu é exclusivamente constituído por instrumentos utilizados no Gabinete de Física Experimental da Universidade de Coimbra desde a sua origem em 1772.

 

 Museu Botânico

Criado pela Reforma Pombalina de 1772, o Gabinete de História Natural foi inicialmente instalado no Colégio de Jesus. Durante o último quartel do século XIX, o Museu de História Natural foi dividido em três secções correspondentes a grandes áreas das Ciências Naturais. O acervo do Museu Botânico foi colocado na antiga sacristia do Convento de S. Bento. Mais tarde foi este Museu reorganizado e instalado no antigo refeitório dos frades e na Sala do Capítulo. No início do século XX (1911-1913) novas estruturações foram feitas, tendo sido criado o Museu, Laboratório e Jardim Botânico. O Museu foi transferido, durante a direcção de Abílio Fernandes, para as instalações actuais, uma magnífica Galeria de Exposições com cerca de 525 m2, localizada no rés-do-chão do Departamento de Botânica (Edifício de S. Bento).

 

Museu Machado Castro

As coleções do museu de Coimbra espelham a riqueza da Igreja e a importância do mecenato régio às quais se devem muitas das suas obras de arte e alfaias religiosas de maior valia. A escultura monocromática ou policroma, em madeira e pedra, ocupa lugar cimeiro, ilustrando com numerosas obras-primas o trabalho das melhores oficinas flamengas e também a evolução das escolas portuguesas da Idade Média ao século XVIII. Ainda assim, os núcleos de pintura, ourivesaria, cerâmica e têxteis, impõem-se com igual importância e representatividade para a arte importada e a produção nacional. Distinguem-se ainda as coleções arqueológicas provenientes da cidade e as de arte oriental.

Casa Museu Bissaya Barreto

A Casa-Museu Bissaya Barreto reúne uma colecção de azulejos portugueses, porcelanas da Companhia das Índias e pintura contemporânea portuguesa. Inaugurada em 1986, a Casa-Museu – residência, durante cerca de três décadas, do cirurgião e professor Bissaya Barreto -, está instalada no edifício revivalista, neobarroco, projectado pelo arquitecto Fiel Viterbo. No Museu podem ser apreciadas as principais peças reunidas por Bissaya Barreto, ao longo de 50 anos.

 

Igreja da Sé Velha

A Igreja da Sé Velha de Coimbra localiza-se na freguesia da Sé Velha, na cidade e concelho de Coimbra. Constitui um dos edifícios em estilo românico mais importantes do país. A sua construção começou em algum momento depois da Batalha de Ourique (1139), quando Afonso Henriques se declarou rei de Portugal e escolheu Coimbra como capital do reino. Na Sé está sepultado D. Sesnando, conde de Coimbra. É actualmente um dos prinipais símbolos das festividades académicas, e onde se realiza a tradicional serenata da Queima das Fitas

Mosteiro de Santa Cruz

Também conhecido como Igreja de Santa Cruz, este monumento localiza-se na freguesia de Santa Cruz, na cidade, concelho e distrito de Coimbra, em Portugal. Foi fundado em 1131 pela Ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho , com o apoio de D. Afonso Henriques e de D. Sancho I, que nele se encontram sepultados. A qualidade das intervenções artísticas no mosteiro, particularmente na época manuelina, fazem deste um dos principais monumentos históricos e artísticos do país.

 Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Fundado em 1283, por D. Mor Dias, o Mosteiro de Santa Clara de Coimbra foi entregue às freiras clarissas pouco depois. Dona Isabel de Aragão, a Rainha Santa Isabel, interessou-se pelo convento, entretanto extinto, e mandou construir novos edifícios em estilo gótico, de que se destacam o claustro e a igreja, sagrada em 1330.

 

 Colégio e Igreja da Graça

O Colégio da Graça pertenceu à Ordem dos Eremitas Calçados de Santo Agostinho e foi fundado por João III de Portugal em 1543, incorporando-se à Universidade de Coimbra em 1549. O desenho do complexo foi realizado por Diogo de Castilho, que estabeleceu no Colégio da Graça o modelo arquitectónico renascentista da igreja e claustro que seria empregado pelo mesmo arquiteto em outros colégios da cidade. O colégio foi desativado no século XIX e ocupado pelo Exército. Está classificado como Monumento Nacional desde 1997.

 

Igreja de Santa Justa

A construção desta igreja, iniciada em 1710, veio substituir um anterior templo que tinha sido destruído pelas cheias. Apresenta uma fachada sóbria e tradicional, destacando-se o portal de pilastras dóricas e entablamento do primeiro piso. No interior, de nave única, sobressaem os magníficos retábulos de talha joanina.

 

 Jardim Botânico

O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, localizado no coração da cidade de Coimbra desde 1772, por iniciativa do Marquês de Pombal, estende-se por 13 ha em terrenos que na sua maior parte foram doados pelos frades Beneditinos. O Jardim é também um espaço de tranquilidade, repleto de recantos que nos convidam simplesmente a um passeio.

 

Portugal dos Pequenitos

Situado em Coimbra, o Portugal dos Pequenitos é desde 8 de Junho de 1940, data da sua inauguração, um parque lúdico-pedagógico destinado essencialmente à Criança. Nascido pela mão e pelo génio de Bissaya Barreto e projectado pelo arquitecto Cassiano Branco, integra desde 1959 o património da Fundação Bissaya Barreto , que tem como patrono este ilustre Professor. Retrato vivo da portugalidade e da presença portuguesa no mundo, o Portugal dos Pequenitos é ainda hoje um referencial histórico e pedagógico de muitas gerações. Para além de ser um espaço de aproximação de culturas e de cruzamento entre povos, o Portugal dos Pequenitos é também uma mostra qualificada da arte escultórica e arquitectónica que, pela miniatura e pela minúcia, ainda hoje encantam crianças, jovens e adultos. 

 

Ponte Raínha Santa

Conhecida também pelos habitantes de coimbra como Ponte Europa a par da Ponte Pedro e Inês é uma obra de relevo da engenharia moderna. A Ponte Rainha Santa Isabel que permite atravessar o rio Mondego, a montante do centro da cidade de Coimbra. Foi inaugurada em 2004. A sua construção permitiu um acesso mais rápido à zona sul da cidade, nomeadamente ao Pólo II da Universidade de Coimbra, a partir do IC2 e da margem esquerda do Mondego (Santa Clara).

Ponte Pedro e Inês

A Ponte Pedro e Inês, inspirada no casal romântico mais conhecido da história medieval portuguesa, é uma ponte pedonal e de ciclovia que permite atravessar o rio mondego. É também um miradouro com uma vista previligiada permitindo apreciar a zona da alta e a baixa de coimbra. A ponte tem cinco vãos desiguais vencidos por arcos metálicos abatidos, o maior deles com 110 metros. A extensão total é de 274,5 metros, tendo o tabuleiro uma secção mista aço-betão armado. O passadiço é em madeira e tem quatro metros de largura, criando a meio uma praça com oito metros de largura; as guardas são em vidro laminado de quatro cores: amarelo, azul, verde e rosa.

Praia Fluvial das Torres do Mondego

Também conhecida como Praia Fluvial de Palheiros e Zorro, é uma praia fluvial criada em 1997 rodeada de uma extraordinária beleza natural que se tem tornado num destino cada vez mais frequentado e apreciado por turistas. O acesso principal é feito pela povoação de Palheiros, na margem esquerda do rio, embora também seja possível o acesso pela margem direita, usando a ponte pedonal. O areal disponibiliza churrasqueiras e mesas de piquenique. A praia fluvial coloca também à disposição um bar com alguns petiscos incluindo a especialidade local, os caracóis.

 

 Fun(tastic)ª

Uma viagem panorâmica, num autocarro aberto de dois pisos, percorrendo os mais belos locais da Cidade de Coimbra, os seus miradouros e pontos históricos. Um passeio de uma hora por Coimbra com informação gravada em Português, Inglês, Alemão, Francês, Italiano e Espanhol.

 

 O Basófias

A viagem a bordo do Basófias dura sensivelmente uma hora, através de um percurso ao longo do rio Mondego e dos seguintes pontos de interesse: Ponte de Santa Clara, Ponte Açude, Praça da Canção, Lapa dos Esteios, Ponte Rainha Santa Isabel, Quinta das Varandas e Ínsua dos Bentos.